31.5.16

vinte e quatro do quatro de dois mil e dezesseis

I.
estou presa numa
armadilha
que eu mesma
planejei.

II.
sufoco da alma
nó na garganta
me falta tudo
apenas a tua falta
é constante
o mundo inteiro
conspira
para me encher
de
lembranças

III.
essa casa fria
é o fantasma
das minhas
angústias
e medos