19.10.15

Black mirror everywhere

você encara a tela fria do celular, o espelho negro te encarando de volta.
a luz pisca e se apaga, quantas vezes? você já perdeu a conta.
ligações de um tempo perdido - que você nem sabia que estavam lá -
descobertas em um sonho acordado (ás custas das suas entranhas revirando pelos lençóis noite adentro).
passa o dia, corre o vento, escorre o tempo - você diligentemente apenas encara -
um nome piscando. respira. quem não ama esquece as letras.
há um número de distância. respira. quem não ama apaga, sem pensar duas vezes.
para quem não ama os segundos não são mortais.
respira. engole à seco e rasga a garganta,
o telefone começa a chamar.